quarta-feira, 29 de agosto de 2007

Isto promete... Sapatilhas???


No dia 28 de Agosto de 2007, a RTP transmitiu uma reportagem sobre um suposto “novo calçado dos estudantes do Porto”.

Novos sapatos? Nada disso, SAPATILHAS...

Um estilista membro da Magna Tuna Cartola desenvolveu sapatilhas para o grupo musical da faculdade, "para evitar o perigo de escorregarem e cantarem com menos dores nos pés", foram os motivos apontados para tal alteração ao traje académico que envergam.


A Magna Tuna Cartola adianta:


«A Magna Tuna Cartola, há muito que assumiu um compromisso mais forte com a inovação do que com a tradição. Embora não seja de todo nossa intenção afrontar a tradição académica da Universidade de Aveiro, a verdade é que a fundação da Tuna antecede a própria criação do traje, e os valores pelos quais nos regemos transcendem o modo como nos vestimos. Dá-nos um especial prazer transmitir a imagem de uma Universidade virada para o amanhã. Com a criatividade como estandarte, a Cartola depende, tal como a ciência, da inovação (in site oficial MTC)». Assim, partimos da «necessidade de um calçado prático e confortável para ser utilizado com coerência durante as longas e duras digressões da MTC (in site oficial MTC)».
As Sapatilhas da MTC além do "design ajustado ao pé, dando maior conforto e mobilidade, a sapatilha tem também presente as siglas da Tuna (MTC) na parte lateral, uma cartola cosida na zona do calcanhar e o emblema da tuna na lingueta, o que torna este um calçado único e personalizado (in site oficial MTC)".



No decorrer desta notícia surge uma petição on line (http://www.petitiononline.com/28agosto/petition.html):


Carta Aberta

No dia 28 de Agosto de 2007, a RTP - Rádio Televisão de Portugal, através do seu serviço informativo “Jornal da Tarde”, transmitiu uma reportagem sobre um suposto “novo calçado dos estudantes do Porto”.

A presente Carta Aberta pretende denunciar publicamente uma série de factos que não podem ficar ao abrigo da ignorância e em prol da verdadeira informação de rigor a que o Serviço Público está naturalmente vinculado, assim o julgamos.

Deve ficar absolutamente CLARO que:

I - Não existe qualquer tipo de outro calçado na Academia do Porto e no uso correcto do Traje da mesma – Capa e Batina – que não o tradicional e clássico sapato preto de atacadores, conforme manda a secular tradição estudantil. Ou seja, a supra citada reportagem induz claramente em erro quem a visionou. Na Academia do Porto o sapato preto foi, é e será parte intrínseca do Traje Académico;

II - O grupo de design podológico a que se refere a reportagem pertence, supostamente, à Universidade de Aveiro e por isso, supostamente, a ela estará vinculado e não a qualquer outra. O citado grupo de design podológico apenas procurou - com a anuência do típico desconhecimento sobre Tradições Académicas – vender um produto e no caso, sapatilhas ortopédicas. Não é de todo aceitável que se usem tão nobres tradições para vender comercialmente um produto;

III - Não é, por tal, qualquer objecto de design podológico susceptível de alterar a Tradição Académica, pelo que os referidos sapatos alegados na reportagem como sendo ortopédicos não são parte integrante de qualquer Traje Académico, seja da Academia do Porto, seja de outra qualquer com Tradições reconhecidas e Órgãos Académicos legitimamente eleitos;

Assim;

Vêm os abaixo-assinados insurgir-se contra esta forma camuflada de venda comercial de um produto ortopédico, levando o incauto telespectador a entender a mesma reportagem de forma errónea, por a mesma apresentar erros crassos e falsas informações, quer por parte do(s) jornalista(s) que entrevistaram, quer por parte dos entrevistados, que prejudicam sobremaneira a verdade dos factos, para lá de publicidade claramente enganosa.


"Eles ganhavam bolhas dos pés e às vezes os calos incomodavam... As actuações ficam difíceis sobretudo quando havia o perigo de escorregar..."

Que será de nós, comum dos mortais tunos, com sapatos tradicionais???
Não será porque o traje não é usado muitas vezes? É que depois do sapato ganhar o dito "jeito" ao pé já não faz bolhas...
Quanto às actuações difíceis, nem sei o que dizer...já quanto ao perigo de escorregar... apenas isto: Bebam Menos!!!
"Como se descalça esta sapatilha???"

3 comentários:

"Critico Atento" disse...

INCOERÊNCIA!!!

“novo calçado dos estudantes do Porto” - para falar da arte musical o principio fundamental é OUVIR BEM!...em nenhum momento da referida peça televisiva se OUVE a palavra "Porto"...dai, voce ser o elo mais fraco!...FORA!!!
...mais adiante: "apenas isto: Bebam Menos!!!"... nao comece você a beber à hora do almoço!...é cedo demais!!!...e depois OUVE coisas que não existem!... resultado um texto sem jeito nem fundamento!
Que sera de nós, espectadores atentos de boa arte musical e de palco, quando para assistir aos magnificos shows da espectacular tuna de Aveiro, a MTC (não se confunda com outras vizinhanças!!!), ainda temos de gramar com outros grupos constituidos por "mascarados", sem sequer um bom par de ouvidos, que se tentam confundir com verdadeiras estrelas musicais de todos os palcos nacionais!
Passe bem!!!

Anónimo disse...

in Comentários @ "http://tunicas.blogspot.com/"

"Carolina disse...

Vida nada fácil...
Será que a culpa é daquele líquido meio dourado com uma espuma branca?
Foi um fim de semana fantástico..."

Carolina disse...

Não podia deixar de esclarecer alguns equívocos...

Exmo. Sr. “Crítico Atento”:
"Que será de nós, espectadores atentos de boa arte musical e de palco, quando para assistir aos magníficos shows da espectacular tuna de Aveiro, a MTC (não se confunda com outras vizinhanças!!!), ainda temos de gramar com outros grupos constituídos por "mascarados", sem sequer um bom par de ouvidos, que se tentam confundir com verdadeiras estrelas musicais de todos os palcos nacionais!"

1º - Este artigo em NADA tem a ver com a qualidade musical da Magna Tuna Cartola, não sendo esta NUNCA posta em causa;
2º - Gostaria de saber se os “grupos mascarados” são as tunas, ou as pessoas que usam o traje académico;
3º - Segundo o que consegui apurar, e que me corrijam se estou enganada, segundo a academia aveirense, todas as “peças que constituem o traje académico são de indubitável necessidade”... “São elas respectivamente; a camisa, a saia e calça, o casaco, os SAPATOS, as meias, os botões e o colete masculino.” O traje masculino é constituído por:
a) A camisa é também de algodão, branca, sem botões no colarinho, com um botão branco em cada punho;
b) As calças são de lã e trevira, pretas, com 4 pinças na parte da frente e duas de cada lado da braguilha. Têm um bolso aberto de cada lado das calças e um na parte de trás com botão. Para além disso têm presilhas para colocação de cinto, também ele preto, dois botões para apertar, um tapado pelo tecido, outro que se vê e têm dobra no final;
c) O casaco é preto com um bolso de cada lado, e um pequeno no lado esquerdo em cima. Por dentro, possui três bolsos: um bolso de cada lado do casaco com botão a fechar (tipo o exterior da calça) e um mais pequeno do lado esquerdo localizado mais abaixo. Na parte de fora tem três botões grandes com o símbolo da UA localizados do lado direito e, como o casaco feminino, tem também uma risca verde escura em ambos os lados, que começa na lapela e termina em baixo, um pouco mais para dentro;
d) O colete masculino é preto, com 4 botões com o símbolo da UA (mais pequenos que os do casaco), a parte de trás é de cetim preto, liso e tem duas fitas do mesmo tecido que partem da costura lateral do colete e se unem com uma fivela preta. Tem dois bolsos fechados de cada lado e duas riscas na vertical, em verde-escuro, que vão do princípio até ao fim do tecido a direito;
e) A gravata é de tecido preto e nela se encontra também bordado o símbolo que a todos nos une (na vertical e no meio da gravata);
f) OS SAPATOS SÃO TODOS PRETOS, SEM FIVELAS E FECHADOS (SAPATO CLÁSSICO), COM ATACADORES PRETOS;
g) As meias são de cor preta.
Tendo em conta este regulamento do uso do traje na academia aveirense, quem serão então os “mascarados”?


Exmo. Sr. Anónimo que postou neste blog em 7 de Setembro de 2007 às 17:32

Foi sem dúvida um fim-de-semana fantástico, mas não deixei de trajar conforme os regulamentos da minha academia.
Ao comprar um traje académico estamos obviamente a aceitar um conjunto de tradições que acarretam algumas regras pré estabelecidas. Segundo sei, o uso do traje não é obrigatório em nenhuma universidade pelo que não compreendo o seu uso indevido.