segunda-feira, 17 de novembro de 2008

VI Moura Encantada, o rescaldo...



A ATITUNA - Tuna Feminina da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto, foi a grande vencedora deste fim-de-semana por terras “do Sol e do Mar” a pretexto do VI MOURA ENCANTADAFestival de Tunas Femininas no Algarve organizado pela Feminis Ferventis - Académica Feminina da Universidade do Algarve.

Ainda que já tarde, o povo do Norte chegou a terras dos Algarves, ainda a tempo da festa que ia dar início ao programa do VI MOURA ENCANTADA, no Bar da Associação Académica.

O acordar foi “quase” pela madrugada…


Ás 11h da manhã de Sábado já as tunas andavam pelo Mercado Municipal de Faro a dar “um arzinho da sua graça”, antecipando o grande festival que ai estava a chegar. À tarde, depois de um almoço bastante animado e cheio de música na cantina da universidade, a concentração para o Passa-Calles pela baixa da cidade de Faro foi no Seu Café, seguindo-se de um lanche no bar o Cruzeiro.

De auditório bem composto e muitas Tunas presentes, deu-se início ao espectáculo. O espectáculo começou com uma das tunas da casa, VERSUS TUNA - Tuna Académica da Universidade do Algarve. Iniciaram a sua actuação com “Por Ti Chorei”, seguido de uma estreia, bem a propósito, “Moura Encantada” e por fim “Noite e a Tuna”. Com o seu Basílio em palco, cantaram e animaram os espectadores antes de subirem a palco as Tunas a concurso.




A primeira tuna a subir a palco veio directamente da grande Invicta, TFFLUP – Tuna Feminina da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Iniciou o seu espectáculo com uma belíssima interpretação à capela de “Senhora do Mar” seguindo-se do seu medley composto por músicas do cinema português. De seguida tocou o seu instrumental “Holiday in Rio” seguido de um fado, imortalizado por Amália, “Havemos de ir a Viana”. Para terminar tocaram o seu hino, já com 18 anos, “Serenatas a Ninguém”. 



A segunda tuna a actuar chegou da capital, TFIST - Tuna Feminina do Instituto Superior Técnico de Lisboa. A sua actuação iniciou-se com um original “Tanto Tempo” seguida do seu instrumental “Conversa de Comadres”. Seguiu com “Saudade”, mais um original da tuna onde as suas pandeiretas brilharam. Prosseguiu com o fado “Ó Gente da Minha Terra” terminado com “Júlia Florista”. 



Depois de um pequeno intervalo, onde se bebeu uns copos e se trocou duas ou três de conversa com as caras conhecidas que iam aparecendo, seguiu-se a actuação de uma tuna também da nobre cidade invicta, ATITUNA - Tuna Feminina da Faculdade de Psicologia e de Ciências de Educação da Universidade do Porto. Iniciaram a sua actuação com uma pequena homenagem à tuna da casa com uma interpretação da música “Canto à Cidade” da Feminis Ferventis. Prosseguiu com um arranjo vocal de "Siempre En Mi Mente" e "Vou Dar De Beber À Dor". De seguida interpretou o bonito fado “Aconteceu” de Ana Moura que arrancou vários suspiros e algumas lágrimas pela sala. Seguiu-se "Recuerdos Bolivianos” terminando a sua actuação com uma música que já as identifica "Criatura da Noite", uma adaptação da música dos Entre Aspas. 



A quarta tuna a actuar veio de Lisboa, LUSITANA - Tuna Feminina da Universidade Lusíada de Lisboa. Iniciou a sua actuação com uma música dos Madredeus, com arranjo da tuna, "Haja o que Houver" onde ficou claro a grande qualidade das suas violas. Seguiu-se com o seu original "Velha Lisboa", exaltando as suas raízes lisboetas e logo depois tocou o se instrumental "Rapsódia Saloia". Prosseguiram com mais um original "Saudade" e terminaram com "Estrada do Monte", mais uma música dos Madredeus com um arranjo bem mexido desta Tuna.



A apoteose da noite foi, como não podia deixar de se esperar, com a actuação da tuna da casa – FEMINIS FERVENTIS. Iniciou a sua actuação com um arranjo de um tema das Tucanas “Molhar o pé” seguido dos originais “Borga” e “Amanhecer”, uma linda serenata. Depois de chamar os antigos elementos da tuna a palco prosseguiu com a “Sina de uma Caloira” e “Hino da Tuna”. 




Por fim o júri deste VI Moura Encantada, composto por:
-Teresa Silva, antigo membro da tuna da casa Feminis Ferventis
- Joana Rangel, membro da Tuna Feminina do ISEL
- Lourenço Carvalhais, antigo membro da Versus Tuna, Tuna Académica da Universidade do Algarve
- Eduardo "Satriani" Espinho, membro da Tuna Universitária de Beja
- Branca Almeida, membro da Tuna D’Elas, Tuna Feminina da Universidade da Madeira


…decidiu:

- Melhor Instrumental: TFIST
- Melhor Estandarte: ATITUNA
- Melhor Pandeireta: TFIST
- Melhor Solista: TFIST
- Melhor Original: TFIST
- Tuna + Tuna: TFFLUP
(atribuído pela tuna da casa)
- Melhor Tuna: ATITUNA

A noite continuou noite dentro no bar Aparte, onde a festa só acabou ao romper dia. Já no Domingo, depois de umas breves horas de sono e o almoço de despedida, já as tunas falavam com saudade e faziam as despedidas.

Foi sem dúvida um grande Festival, mais um grande Moura Encantada, como só elas o sabem fazer, que a cada ano que passa se torna mais um lugar de paragem e reencontro de amigos que se fazem pelos anos e festivais fora…

Por fim, não podia deixar de fazer os meus agradecimentos:
- aos companheiros de viagem, ATITUNA, TFFLUP, à Panamá e ao Ravanelli;
- à Joana das senhas e dos jogos tradicionais;
- à Versus Tuna, tuna do coração…;
- à Feminis Ferventis… por tudo
- às reformadas da Feminis Ferventis, pelo sabor de volta a casa, as recordações, as amizades, pelo “as capas, os doutores, a tuna, no Algarve um dia fui feliz !!!”
- à minha Gabi, adoro-te!
- e claro, a todos os que se cruzaram connosco nestes dias de festa, tradição e espírito académico.



Até ao VII Moura Encantada!!!

2 comentários:

RedHead disse...

Queria apenas fazer uma correcção: A primeira música que a TFIST tocou chama-se "Tanto Tempo", e não "Tenho Tempo".

Carolina Mendonça disse...

Muito Obrigada pela correcção.
Foi a priemira vez que vos vi actuar e fiquei fã, tanto das pandeiretas como do duo entre as flautas transversais.

Parabéns.