domingo, 14 de dezembro de 2008

I FETA, o rescaldo...

“Após dois anos de vida, a vontade indomável que fez nascer a ATITUNA - Tuna Feminina da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto, fez nascer uma novo evento tunante. Tendo como base o princípio da exaltação da Tuna erguida em torno dos valores da amizade, da música, da praxe e do espírito académico, nasce o I FETA – FESTIVAL DE TUNAS D'ATITUNA. Um certame tunante feminino de natureza competitiva que tem como objectivo promover a divulgação do fenómeno tunante em geral, e o feminino em particular, conciliando este facto com a promoção do movimento cultural da cidade Invicta.”

E assim se viveu mais uma noite fantástica, uma verdadeira noite de música e tradição onde a TUNAFE-Tuna Feminina de Engenharia da Universidade do Porto saiu como a grande vencedora.

Pelo fim da tarde a grande trupe do “elevador” – eu e o meu amorzinho, o Frágil (Versus Tuna) e claro, a Panamá - chegou à grande invicta. Pelos lados do mítico Sá da Bandeira tratava-se do chek sound, pelos lados da Junta de Freguesia de Santo Ildefonso conviviam as tunas por entre uns passinhos de dança, e 1 2 cha cha cha, 1 2 cha cha cha…

Depois de um lanche ajantarado cheio de animação, as tunas seguiram então para o local do espectáculo, o Teatro Sá da Bandeira. Com casa quase cheia e com um cartaz repleto de tunas de grande qualidade a noite estava preparada para um extraordinário espectáculo que teve início com uma estrondosa actuação, literalmente ESTRONDOSA, de um grupo de percussão, os "Mareantes do Rio Douro".


As actuações começaram com uma animada actuação da Looney Tuna - Tuna Académica da Faculdade de Psicologia e de Ciências de Educação da Universidade do Porto.


A primeira tuna que se apresentou a concurso foi a Tuna Feminina de Enfermagem do Porto iniciando a sua actuação com uma arranjo vocal em "Tu Gitana". Em seguida tocou "Sonho meu", uma adaptação com sonoridade bem brasileira, quase que em tons de samba. Depois o instrumental, retirado da banda sonora do Le fabuleux destin d'Amélie Poulain onde se destacaram as pandeiretas. Seguiu-se com “El Talismã” e para terminar, em jeitos de hino "Chave dos Sonhos".


Seguiu-se a Tuna Feminina de Medicina do Porto. Iniciou a sua actuação com uma estreia de um arranjo musical para uma canção de amigo do século XIII “Laidamendeu”, com uma originalidade, o uso de gaita-de-foles. Prosseguiu com “Para ti” onde se destacou os estandartes e a graciosidade das pandeiretas seguido do seu instrumental “Libertango”. “Tenho medo” foi a música onde se destacou a sua solista para além do desempenho vocal do resto do grupo, terminando com um original “Porto de Histórias”.

Depois de um breve intervalo foi a vez da TUNAFE - Tuna Feminina da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, prosseguir o espectáculo. Começou a sua actuação com uma estreia “Poco a Poco” com um bonito e coordenado esquema de pandeiretas seguido do seu instrumental “Ecos d'Harém”. Prossegui com "Hora de Fechar" e "O que faz falta" um conhecida música de Zeca Afonso. Terminou como seu hino "Tudo Isto é Tuna" numa adaptação de um fado de Amália.


Por fim a concurso a actuação da Tuna Feminina da Universidade Católica Portuguesa que iniciaram a sua actuação com ritmos brasileiros com uma música de Tom Jobim e Vinicius Morais "Água de Beber". Seguiu-se "Porto Velhinho" e com o seu instrumental em jeitos de swing/jazz de Glenn Miller “In The Mood”. Prosseguiu com uma excelente interpretação de solista do tema "Habanera" um tema integrado na Ópera Carmen de Georges Bizet, terminando a sua actuação com um fado de Mariza, o “Fado Tordo”.


A esta seguiu-se a tão esperada actuação da noite, a tuna da casa ATITUNA - Tuna Feminina da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto. Iniciaram a actuação com uma excelente interpretação de "Vou Dar De Beber À Dor", destacando-se a qualidade do arranjo vocal e instrumental bem como das suas pandeiretas, seguindo-se com “Aconteceu” de Ana Moura, e apenas posso dizer… simplesmente lindo!!!
Prosseguiu com "Recuerdos Bolivianos" uma música bastante animado com ritmos quentes directamente da América latina que, para grande surpresa do público teve direito a coreografia de bailarinos e tudo… Seria para terminar a sua actuação com uma música que já as identifica "Criatura da Noite", uma adaptação da música dos Entre Aspas, mas os júris estavam ainda numa “acesa luta” interpretando então a sua versão à capela de “Siempre em Mi Mente”.


Ficam no fim os resultados…

Melhor Claque - Tuna Feminina da U.Católica Portuguesa - Porto

Melhor Estandarte - Tuna Feminina de Enfermagem do Porto
Melhor Pandeireta - Tuna Feminina de Enfermagem do Porto
Melhor Solista - Tuna Feminina de Medicina do Porto
Melhor Desempenho Instrumental - Tuna Feminina da U.Católica Portuguesa - Porto
Melhor Desempenho Vocal - Tuna Feminina de Enfermagem do Porto

Tuna Mais Tuna - Tuna Feminina de Medicina do Porto

Melhor Tuna - Tunafe - Tuna Feminina de Engenharia do Porto



No fim de uma noite muito bem passada, cheia de animação e de muito convívio, a festa do FETA foi logo ali. O átrio do Sá da Bandeira estava cheio de caras conhecidas, de muita música, muita a animação e claro, MUITA FETA!!!!

FETA É FETA E NINGUÉM DROME!!!

Obrigada meninas pelo convite e… por tudo!!!



5 comentários:

Anónimo disse...

óptimo relato, permite-me só um reparo: a música de estreia da TUNAFE chama-se "Poco a Poco" (cuja versão original é intitulada "Canción Hyuaño) e o instrumental "Ecos d'Harém".

Já que não posso comentar no portugal tunas, olha... comento aqui! ;)

Mexi
(da TUNAFE)

Anónimo disse...

Correcção a mim própria: "Canción y Huayno" é o título original, o título da adaptação da TUNAFE é "Poco a Poco"

Mexi

Magi Matraka disse...

Querida Carolina =)
como sempre a maior nestas coisas de relatar os eventos tunante... Obrigada por tudo, nao so este fim-de-semana mas também em geral e sempre =) es uma verdadeira amiga! Desta vez houve pouco tempo para estarmos juntas mas nada que o semestre cheio que aí vem nao resolva...
Para o ano, ou no proximo ou no seguinte (quando houver coragem para um proximo FETA prometo que se te pedir para trabalhar é no bar e mais nada lolol)

PS: o grupo de bombos nao era dos bombeiros voluntários lolol eram os Mareantes do Rio Douro!

Carolina Mendonça disse...

MEXI:
Muitos parabéns pelo prémio e, acima de tudo, pelo espírito que se viu em palco e pelos corredores de Sá da Bandeira.
Muito obrigada pelas correcções, são sempre muito bem vindas.



MAGI:
Essa do bar é muito boa...
Parece-me perigoso, mas alinho...

Mais uma vez, para além de uma grande prazer foi uma grande honra. Obrigada eu!!!
E claro, oportunidades não vão faltar...

Muitas Beijokas e Muitos Parabéns pelo o I, do que se espera, muitos e grandes FETA's

Panamá disse...

Carolina, membro da trupe do elevador, ainda na onda dos reparos, a Tuna Feminina da Católica tocou o "Porto velhinho". E a confirmar com alguém de Medicina, pois eu não vi, mas foi-me dado a entender, em vez de "Tenho medo" terá(provavelmente) sido "Te quiero".
De resto, espero que os ares alentejanos não te "corrompam" mas continua com a pesquisa dos tascos na zona para a malta marcar um fim de semana aí em baixo, quando estiver mais quentinho, claro!!
E para béns pelo trabalho que vais mantendo neste blog, é preciso muita paciência, mas acho que vai valendo bem a pena, mais não seja pela afluência que o blog vai tendo a título de curiosos e ávidos de informação, mais não seja dos cartazes.
Jokas e até ao próximo reencontro.