domingo, 21 de março de 2010

XII FARTUNA, o rescaldo...

Foi nos dias 19 e 20 de Março que decorreu a XII edição do FARTUNA – Festival de Tunas Académicas da Cidade de Faro, organizado pela Versus Tuna – Tuna Académica da Universidade do Algarve.

A Afonsina, Tuna de Engenharia da Universidade do Minho, foi a grande vencedora deste fim-de-semana na nossa Cidade de Cetim!

Na sexta o festival teve início com as tradicionais serenatas no Largo do Carmo. O ambiente era de festa, e deu para ver um “cheirinho” do que seria um grande fim-de-semana. A festa entrou pela noite dentro no Bar da Associação.


Depois de um acordar difícil, e do forrar do estômago na cantina da universidade, deu-se pelas ruas de Faro o Passa-calles, bastante animado e divertido, permitindo o contacto com a população e assim publicitar o certame que iria acontecer mais à noite, no Teatro das Figuras.





Um teatro praticamente cheio foi o que aguardava as tunas nessa noite. O espectáculo começou a Feminis Ferventis – Tuna Académica Feminina da Universidade do Algarve. Com cerca de 18 elementos em palco, iniciou a sua actuação com o seu instrumental de Gustavo Santaolalla “De Ushuaia a La Quiaca” seguido de um mix de originais “Sina de uma Caloira” e “Hino da Tuna”.



A primeira tuna a concurso foi a Tuna Académica do IPAM – Cidade de Matosinhos. Com cerca de 25 elementos em palco iniciaram a sua actuação “Canoas do Tejo” seguida de uma conhecida música italiana “Funiculi Funicola”. Prosseguiu com uma adaptação do tema “Mente ao meu coração” onde se destacou a prestação do seu solista. Prosseguiu com o tema “Assim mesmo é que é”, onde se destacou a prestação dos seus pandeiretas terminando com o hino à cidade de Matosinhos “Oh Senhor de Matosinhos”.



Seguiu-se a actuação da Afonsina – Tuna de Engenharia da Universidade do Minho. Com cerca de 30 elementos, e depois de uma entrada em palco bastante animada, iniciaram a sua actuação com um original “Lenda da Fonte”, onde se destacou a prestação do seu porta-estandarte seguido de “Há dias em que mais vale”. Prosseguiu com o seu instrumental seguido de “Siga a Marinha/Chico Fininho” onde se destacaram as suas pandeiretas, terminado com “Afonsina é o Nosso Hino”.



Depois de um curto intervalo seguiu-se mais uma tuna da casa, a Real Tuna Infantina, Tuna Académica Mista da Universidade do Algarve. Com cerca de 25 elementos iniciaram a sua actuação com uma interpretação do tema “Cavalo à Solta” seguido do seu original “Luar Algarvio”, terminando com uma fantástica interpretação de “Manhã de Carnaval”.


Novamente a concurso, e de terras alentejanas, veio a Tuna Académica da Universidade de Évora. Com cerca de 28 elementos em palco, iniciou a sua actuação com um cantar alentejano à capela “Vizinha tem cá lume” seguido de “Trova do Sem-Pavor” onde se destacou os seus porta-estandartes. Prosseguiu com “Serenatas” seguido do seu instrumental “Tico-Tico no Fubá“, seguido de “Olhos Azuis”. Terminou a sua actuação com duas músicas tradicionais alentejanas, “Meu Alentejo” e “Vou-me Embora”.




Por fim, a concurso, esteve a Estudantina Académica da Madeira. Com cerca de 18 elementos em palco, iniciaram a sua actuação com o fado “Júlia Florista” seguido de “Funchal de Verde Manto” onde se destacou a performance do seu porta-estandarte. Prosseguiu com o seu instrumental, uma ária de Bach e a sua serenata composta por Roberto Neves “Alma”, simplesmente lindo…ah rouxinol! Por fim tocaram o seu hino “Estudantina Passa”.




A terminar este grande festival, subiu a palco a tuna organizadora, Versus Tuna – Tuna Académica da Universidade do Algarve. Com cerca de 24 elementos em palco iniciaram a sua actuação com “Cidade de Cetim” seguido de “Noite e a Tuna” onde se destacaram os seus pandeiretas. Prosseguiu com o seu instrumental seguido de um original “Moura Encantada” e “Foi Deus”. Após a entrega dos prémios terminou a sua actuação com “Hino da Tuna”.



Resta ainda referir que as apresentações estiveram a cargo da tuna da casa. Momentos hilariantes este ano inspirados na saga do "Super Mário à procura da sua Princesa".



No fim o júri decidiu…

Melhor Solista: Estudantina Académica da Madeira
Melhor Estandarte: Estudantina Académica da Madeira
Melhor Instrumental: Afonsina, Tuna de Engenharia da Universidade do Minho
Melhor Pandeireta: Tuna Académica do IPAM – Cidade de Matosinhos

Melhor Serenata: Estudantina Académica da Madeira
Melhor Pasacalles: Estudantina Académica da Madeira
Tuna Mais Tuna: Tuna Académica do IPAM – Cidade de Matosinhos
Tuna Mais Marafada: Estudantina Académica da Madeira

Melhor Tuna: Afonsina, Tuna de Engenharia da Universidade do Minho


A festa seguiu noite dentro até de madrugada no Bar da Associação.
À Versus resta agradecer pela hospitalidade, pelo carinho, alegria e dedicação com que sempre nos recebem… e por simplesmente nos fazerem sentir em casa. Obrigado por tudo, dos mais velhos aos mais novos! Sei que me repito constantemente mas para mim, e cada vez mais, os festivais de tunas não são competições, são um local comum de encontro e reencontro de amigos. O espírito que se sentia era fantástico, cheio de alegria, tradição e espírito académico aliado ao mais nobre espírito tunante.

Muitos parabéns à VERSUS TUNA e claro, até para o ano!

Por Carolina & Gabi

5 comentários:

Gabi disse...

Não há nada como voltar a "casa" e sentir que nunca de lá saimos...
Obrigada, Versus Tuna!

Magi Matraka disse...

Ei e comentar como o júri era fixe e bastante charmoso?!

E a referência à grande estreia da ANTITUNA com o seu primeiro passacalles?! eheheh

Em grande como sempre... beijoquinhas prima!

Manel disse...

É verdade!

A Antituna realizou a sua estréia em grande, confirmando que não há barreiras geográficas que impeçam a disseminação dos mais nobres preceitos tunantes, como a interpretação do intemporal "Poker Face" da Lady Gaga!

Carolina Mendonça disse...

É verdade...

E não querenda gabar esta nossa ANTITUNA... os prémios de melhor solista (eu) e melhor pandeireta (gabi) deviam de ter sido nossos...
Vou reclamar ao jurí... ainda que concorde com a prima Tatiana... era um jurí bastante simpático e charmoso!

Para quando o reencontro? Temos que marcar ensaios!

Manel disse...

Carolina, a Antituna não ensaia: janta! :oD Mas com certeza que se há-de combinar alguma coisa um dia destes.

Bjinhos e parabéns pela reportagem!