segunda-feira, 28 de abril de 2008

VII TEMPLÁRIO, o rescaldo...

A anTUNiA – Tuna de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, foi a vencedora deste grande fim-de-semana em Tomar a pretexto do VII Templário – Festival Internacional de Tunas da Cidade de Tomar, organizado pela Tuna Templária do Instituto Politécnico de Tomar. Foi sem dúvida um grande festival, não só pelas tunas presentes, mas por todos os amigos e tunos que se deslocaram à bela cidade dos templários, a cidade de Tomar.

Depois de uma noite em grande na cidade de Aveiro com o primeiro dia do XVIII FITUA, o nosso "casal de três" rumou à bela cidade de Tomar. Seguindo o programa no sábado à tarde decorreu o habitual passacalles e as serenata às guias em frente a Câmara, que segundo apurei, este momento é considerado por muitos o momento mais alto do festival uma vez que por toda a praça e pelo caminho do passacalles alastrava a população, cheia de curiosidade e ansiosa de ver e ouvir as Tunas a passar.

O jantar, bem regado, foi no conhecido Café 15, na companhia de mais um menino de azul, e onde bebi pela primeira vez o famoso MOCHÃO. Rumamos então para o Cine-Teatro Paraíso que estava esgotado há muito! Cabe-nos agradecer ao amigo Rosado pelos bilhetes, pela hospitalidade, pela amabilidade enfim, por tudo.

O espectáculo começou com a actuação de um grupo de Jazz que com um bom espectáculo aqueceram o público para o rol de tunas que se seguia.

A primeira tuna a actuar foi, vinda da cidade da Guarda, a Copituna d´Oppidana - Tuna Académica da Guarda. Foi um espectáculo bastante coerente iniciando a sua actuação com uma adaptação de “Perdidamente” de Florbela Espanca seguida de “Guitarra de Ilusões” e “Domingo à Tarde” um instrumental. Num medley de música portuguesa interpretaram, onde se destacaram as suas pandeiretas, “Saudade” de Luís Represas, “Cana Verde” de Fausto e o “Entrudo” de Zeca Afonso. Continuaram com "Capa ao Ombro" e um medley de músicas dos Quinta do Bill e em sua homenagem, terminado da mesma forma que iniciaram, com “Perdidamente”.



A segunda tuna a subir a palco veio de nuestros herrmanos a Tuna de Biologia de Sevilha. Foi um espectáculo muito animado, com grande pujança vocal, interpretando temas como “Mi Terra” e “La Samba” onde se destacou a performance do pandeireta e do porta-estandarte ainda que, um num estilo diferente ao praticado por Portugal.



Depois de um pequeno intervalo, onde se parou para beber uns copos e trocar duas ou três de conversa com as caras conhecidas que iam aparecendo...



... seguiu-se a actuação bastante animada da anTUNiA – Tuna de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa que interpretou "Sancho Pança" e "Sonhos" ". Seguiu-se com um instrumental de Mozart "Eine Kleine" e uma interpretação da música "Haja o que houver" e por fim "Lágrimas Negras" dedicada à cidade de Tomar.


A terceira tuna actuar veio da nobre cidade invicta, a Tuna do Distrito Universitário do Porto. Iniciou a sua actuação com uma música dos seus padrinhos “Navegamos a Cantar” seguindo do seu primeiro original “Porto sem Par”. Continuou com ritmos latinos “Mariposita”, “Capa Negra” e para terminar “a casa de todos nós” a “Casa Portuguesa”.



A apoteose da noite foi, como não podia deixar de se esperar com a actuação da tuna da casa: a Tuna Templária de Tomar, iniciando com o já conhecido ”Carlatão” seguido de “É tão bom”. Interpretou também numa bonita adaptação “Portugal, Portugal” de Jorge Palma seguido de, numa homenagem aos homens de Abril e à revolução dos cravos, “A morte saiu à rua”. Para terminar tocou “Pensando em ti” e o seu “Hino”.



No fim o júri decidiu:
Melhor Serenata: Copituna
Melhor Passacalles: anTUNiA
Melhor Estandarte:Tuna de Biologia de Sevilha
Melhor Pandeireta: anTUNiA
Melhor Solista: TDUP
Melhor Instrumental: anTUNiA


Tuna Mais Tuna: Copituna
Tuna Publico:Copituna

2º Lugar: TDUP
Melhor Tuna: anTUNiA

Depois dos resultados, a festa seguiu um pouco por todo o lado, terminando na discoteca Rio Bar. "Tomar, linda cidade..." Até ao VIII Templário!

5 comentários:

anTUNiA disse...

Cara Carolina,
Desde já agradecemos imenso a tua reportagem acerca da nossa presença no VII Templário, que se realizou no passado fim de semana.
Gostávamos de referir que há dois erros no que escreveste acerca da nossa tuna, que passamos a citar:
- somos a "anTUNiA - Tuna de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa" e não a "Tuna Académica de Lisboa";
- A música "Lágrimas Negras" não é original da nossa Tuna. Apenas as duas primeiras músicas, "Sancho Pança" e "Sonhos" são de nossa autoria.
Com os melhores cumprimentos,
P'la anTUNiA
Miguel Moreira

Carolina disse...

Alo…

Obrigada mesmo pela correcção! Agradeço a todos que "apanhem" estes meus erros que se façam ouvir, afinal errar é humano!
Quanto ao nove da tuna, ERRO CRASO mesmo, muitas muitas desculpas, mas tinha estado a fazer a reportagem de sexta do FITUA e deve-me ter escapado, por entre alguns “copy paste”.
Não vi a vossa actuação completa, cheguei ao teatro mesmo no fim do instrumental :( ... a meio que fiquei retida por entre conversas e shots, mas gostei muito do que ouvi. Fico à espera de uma nova oportunidade que com certeza não vai tardar em chegar.
Se quiserem posso mandar algumas fotos da actuação, é só mandarem um mail de contacto.

Obrigada por visitares o nosso blog.

anTUNiA disse...

Obrigado Carolina.

Não há problema nenhum, apenas queriamos salientar esses erros!

No texto em que colocas-te existem ainda dois erros:

seguiu-se a actuação bastante animada da anTUNiA – Tuna Académica de Lisboa que interpretou "Sancho Pança" e "Sonhos" "Haja o que Houver". Seguiu-se com uma interpretação da música "Haja o que houver" e por fim "Lágrimas Negras" dedicada à cidade de Tomar.

Já agora a outra música que nós tocámos foi o intrumental de Mozart "Eine Kleine".

Gostariamos de receber entao as tuas fotos! Envia por favor para antunia@fct.unl.pt

Vamos estar próximamente em dois festivais aqui próximos de almada, o "Bocage" em Setúbal e o "TUIST" em Lisboa.

Cumprimentos e muito obrigado novamente.

P'la anTUNiA

Miguel Moreira

Bruno "BaKano" disse...

Caro Miguel, como ajudante oficioso do TUNICAS (normalmente fotografo e camera-man, mas se bem que no sabado limitei-me a ser o motorista :-)) peço que ponhas aqui a ordem correcta da vossa actuação, pois tal como a Carolina disse, nós chegamos ao teatro qd estavam vcs a terminar o vosso instrumental. Isntrumental que de certeza é bom, pois foi o que ganhou o prémio de melhor!

Assim, a Carolina pode corrigir a "reportagem" do Templário.

Hugo Inácio disse...

Caro Bruno e Carolina,

A nossa ordem de actuação foi:

-Sancho Pança (anTUNiA)
-Sonhos (anTUNiA)
-1º andamento de Eine kleine Nachtmusik (Wolfgang Amadeus Mozart)
-Haja o que Houver (Madredeus)
- Lágrimas Negras (Miguel Matamoros)

Ainda iniciamos e concluímos a nossa actuação com o "Grandola Vila Morena".

Continuação de um bom trabalho que têm feito aqui no Túnicas e espero encontrar-vos neste fim de semana no Bocage em Setúbal!

P'la anTUNiA,

Hugo Inácio